Finanças do casal precisam ser discutidas de forma inteligente

Finanças do casal precisam ser discutidas de forma inteligente

“Casais inteligentes não são aqueles que falam apenas de números, mas sim aqueles que falam ao coração, compreendem e aceitam diferenças”

finanças casal inteligente dividir contas

Com a semana do dia dos namorados aí o tema não poderia ser outro.

Casados, ou ainda não, muitos casais questionam-se o que fazer quando falta dinheiro para pagar as contas. Como enriquecer junto, sair das dívidas ou ter uma comunicação mais harmoniosa sobre o tema. Como lidar com o saldo no banco na hora de fazer acontecer os nossos desejos?

Muitos olhares vêm sendo lançados sobre o assunto. Pesquisas vêm estudando o comportamento do brasileiro; o entretenimento vem abordando a questão dentro de novelas e séries; livros como  o best seller ‘Casais inteligentes enriquecem juntos’ (Gustavo Cerbasi) vem sendo vendidos.

Abaixo compartilho com vocês o meu olhar sobre o assunto, muito bem captado em entrevista concedida para para Visão Prev (parceira da Lab do Valor).

 

casais inteligentes falam de diferenças e enriquecem juntos a relação

Texto: Beth Leites, Palavra. Oficina de Textos

Um levantamento feito recentemente em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) apontou que 48% dos entrevistados que vivem com um companheiro ou companheira já brigaram por causa de dinheiro.

Os principais motivos das disputas entre os casais são: o fato de o companheiro gastar além das condições financeiras (46%), discordâncias sobre as prioridades de gastos (32%), atraso no pagamento de contas (28%) e rigidez do companheiro no controle dos gastos (21%).

De fato, todos conhecem casais que discutem com frequência por questões financeiras. Mas essa situação é incontornável?

O Mirante conversou com o consultor financeiro Jaques Cohen, do Lab do Valor (que tem parceria com o Clube da Vantagens da Visão Prev), sobre o tema. Segundo Jaques, é possível, sim, harmonizar as diferenças com autoconhecimento, diálogo construtivo, respeito à individualidade e clareza no compartilhamento de objetivos.

o que são casais inteligentes
“Quando se fala em ‘Casais inteligentes’ não se pode pensar em inteligência de forma antiquada e supostamente racional”

DINHEIRO É MESMO UMA CAUSA FREQUENTE DE PROBLEMAS ENTRE CASAIS? POR QUÊ?

Faço planejamento financeiro individual e para casais. Sim, os conflitos existem, mas é importante dizer que o dinheiro não é somente uma causa de conflitos. Ele é também um instrumento que revela a existência de outras questões. Ou seja, o casal tem divergências em relação a outros temas. Na conversa sobre dinheiro, não estamos falando somente de dinheiro, estamos abordando desejos, limitações, expectativas…
Por mais que sejam parecidas, não existem duas pessoas iguais em tudo, sempre há diferenças na vida a dois. Então, quando pensamos no que fazer com o dinheiro, essas diferenças podem aflorar.

ISSO ACONTECE APENAS COM CASAIS “CASADOS” OU JÁ NO NAMORO APARECEM OS PRIMEIROS SINAIS DE POSSÍVEIS CONFLITOS FUTUROS? COMO IDENTIFICÁ-LOS?

Os conflitos relativos ao dinheiro e às divergências que se revelam através do dinheiro já podem ser observados antes. Na verdade, é bom registrar que eles sempre vão acontecer, em maior ou menor grau. É impossível que haja um relacionamento 100% harmônico. Mas como é uma questão que tem a ver com reconhecer o desejo do outro e com a capacidade de dialogar, ela vai aparecer logo no namoro.
Acredito que todo casal que já planejou e fez uma viagem junto sabe quanto essas diferenças podem despontar desde cedo. A dificuldade de comunicação não surge do nada, porém é claro que, quando o casal coabita e junta as contas, isso fica mais complicado.

casais inteligentes enriquecem juntos?

 

É FATO QUE AS MULHERES SÃO MAIS CONSUMISTAS E OS HOMENS, MAIS POUPADORES OU ISSO É APENAS UM ESTEREÓTIPO?

Entre os especialistas em educação financeira, a percepção é que as mulheres tendem a gastar aquela quantia com coisas pequenas, como cosméticos, sapatos e roupas e os homens com coisas maiores como carros, motos ou casas. No final das contas, os dois podem ser igualmente consumistas, mas o objeto de consumo é diferente. No entanto, essa é uma visão genérica e não uma verdade absoluta. Senão, caímos em estereótipos muito complicados.

 

 ESSA “REALIDADE” VEM MUDANDO? DE QUE FORMA?

Com certeza. Estamos vivendo uma revisão de papéis com a qual os dois gêneros ainda estão tentando lidar. As mulheres, por exemplo, vêm conquistando uma independência e um poder que dão conta dos aspectos financeiros. Mas isso não cobre tudo, pois ainda é preciso ter alguém para compartilhar a vida… ou não?

E os homens estão tendo dificuldade para se relacionar com mulheres que ganham mais do que eles, pois muitas vezes se sentem inferiorizados em meio a uma cultura que ainda os coloca como provedores.

 

Casais inteligentes evitam estereótipos
“Casais inteligentes evitam estereótipos”

HÁ ALGUMA DIFERENÇA EFETIVA ENTRE HOMENS E MULHERES EM RELAÇÃO ÀS QUESTÕES FINANCEIRAS?

Uma pesquisa divulgada em março pelo aplicativo de finanças pessoais GuiaBolso mostrou que as mulheres investem 29% menos que os homens. Isso já considera a média quando se compara as mesmas faixas de salário. Mas sabemos que isso tende a mudar e, aliás, já vem mudando como mostra a própria pesquisa: a proporção de mulheres investidoras com conta ativa no Tesouro Direto, por exemplo, passou de 13,51% para 30,43% entre 2002 e 2017.

Outros levantamentos mostram também que as mulheres costumam ser mais conservadoras na hora de investir. Tanto no Brasil quanto em outros países.

 

QUAIS COSTUMAM SER OS MAIORES PONTOS DE CONFLITO? COMO É POSSÍVEL REDUZIR OU ELIMINAR ESSES PROBLEMAS?

Em geral, o principal costuma ser o que fazer com o dinheiro – ou seja, para onde direcioná-lo nas finanças da família. E lidar com isso passa muito pelo diálogo. Mas antes da comunicação, uma questão essencial é o autoconhecimento porque, para conversar com seu parceiro ou parceira, você precisa saber primeiro o que você quer.

Do contrário será comum trazer nossos conflitos para o diálogo. Não podemos entrar na conversa buscando culpados. Quando for assim já é de se esperar que a culpa recai sobre o parceiro.

O problema é, portanto, que, muitas vezes, a gente não sabe o que deseja de fato. Assim, o primeiro passo é esse momento de reflexão sobre os próprios desejos: o que eu tenho vontade de fazer ou ter. Aí é possível partir para uma conversa ou negociação mais consciente.

Outro aspecto importante é que é necessário estar efetivamente disposto a ouvir o que o outro quer; e se mover a partir da vontade de chegar a um ponto comum. Até porque, muitas vezes, não temos ideia do que está se passando do outro lado.

Se nos propomos a entender de verdade, às vezes descobrimos coisas que não são óbvias sobre o desejo do outro. Por que essa viagem? Ou esse carro? Ou uma casa nesse local? Vejo isso nos meus atendimentos: há casos em que as pessoas estão juntas há anos, mas não compreendem os desejos um do outro em profundidade e com generosidade. Não estou falando necessariamente de casos em que a distância é tão grande que um não quer nem saber o que o outro tem a dizer. Ouvir em profundidade é difícil.

Mais um ponto de atenção muito delicado são as dívidas em segredo. O ideal é que essas questões sejam tratadas às claras pelo casal para que a realidade e as possíveis soluções possam ser discutidas e compartilhadas. Caso contrário, a tendência é ampliar ainda mais o problema. Se uma das partes não tem ciência do problema, a tendência é que o casal se aproxime mais do perfil esbanjador que não quer refletir sobre os seus caminhos.

casais inteligentes

Por fim, é válido lembrar que, quando falamos de um casal, estamos falando de três entes: o casal e dois indivíduos. Então, é vital também atentar para essas individualidades, para que os projetos e sonhos de cada um não se apaguem e se tenha clareza de como investir os recursos. Claro que são questões que dizem respeito à dinâmica de cada casal, mas pode ser muito bom refletir sobre esses temas.

QUAIS AS MAIORES OPORTUNIDADES DE APRENDIZADO COM AS DIFERENÇAS NO CASAL?

Acredito que quando se tem esse tipo de conversa, com esse nível de entendimento, se extrapola o financeiro. As pessoas começam a se conhecer melhor para negociar seus desejos e expectativas de modo mais positivo. Os ganhos, é claro, se refletem na gestão das finanças e vão muito além delas.

Quando se pensa no planejamento da aposentadoria, por exemplo, a construção dessa harmonia é ainda mais indispensável. As decisões podem passar por aspectos como: continuar ou não trabalhando, iniciar uma segunda carreira, abrir um novo negócio, mudar de cidade, viajar, fazer cursos, começar outra formação acadêmica… São muitas possibilidades que devem ser avaliadas de forma ampla pelos três entes: o casal e cada indivíduo.

E NO DIA A DIA, QUAIS AS DICAS PARA GERIR O ORÇAMENTO DE FORMA HARMÔNICA?

dicas finanças casal forma inteligente

Algumas dicas interessantes podem ser:

  • Estabelecer metas comuns;

 

  • Dividir a participação no pagamento das contas conforme o salário de cada um – ou seja, quem ganha mais paga mais;

 

  • Deixar um espaço para as particularidades individuais, sem que seja necessário compartilhar absolutamente tudo;

 

  • Avaliar o que tem a ver com o casal sem seguir modelos alheios. Isso vale, por exemplo, para ter ou não conta bancária e cartões de crédito conjuntos; Vale para falar sobre como investir e até para questões como comprar a casa própria ou não;

 

  • Quem gere custos de forma mais eficiente deve cuidar dos gastos variáveis, pois pode encontrar oportunidades de economia; Quem tem mais dificuldade de gerenciamento minucioso pode ficar com os gastos fixos como aluguel, mensalidades escolares etc. São despesas que podem ser menos afetadas mesmo se a gestão estiver ‘sobre o parceiro esbanjador’;

 

  • Fazer o orçamento doméstico em conjunto periodicamente para que ambos entendam o que está acontecendo com o dinheiro: se falta dinheiro para pagar as contas, onde sobra dinheiro no fim, e onde investir, se for o caso;

 

  • Não deixar de aproveitar a vida a dois, se deixar de viver e comemorar o casal pode perder em termos de relacionamento.

 

  • Viver mais de acordo com o que o casal acredita, seus valores e desejos, sem se prender a “fórmulas ideais” de casal ou família.
13 de dezembro de 2018

1 repostas em "Finanças do casal precisam ser discutidas de forma inteligente"

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os direitos reservados © 2017 - Laboratório do Valor.

Rua Lisboa, 273, Pinheiros, São Paulo – SP | (11)3082-5617
E-mail: contato@labdovalor.com.br